A linguagem. O bilinguismo - Doutor das Crianças - Guia Médico

26 Agosto 2017
Comentários:  0
A linguagem. O bilinguismo - A linguagem. O bilinguismo




EXPLICAR ÀS CRIANÇAS O NASCIMENTO,é normal o umbigo de bebe cheirar dois dias depois d nascimento,rastreio doenças metabólicas dias.




Aos dois anos, as possibilidades de expressão verbal variam muito de criança para criança, dado que dependem dos estímulos que recebe do meio onde decorre a sua vida e das suas características pessoais. Geralmente, tem uma linguagem básica que lhe permite um grau dc comunicação aceitável. O facto de perceber o que se diz é mais importante do que a sua capacidade para falar. Uma criança muito inteligente pode utilizar poucas palavras, mas terá sempre uma capacidade acrescida para a compreensão. E frequente crianças inteligentes terem um certo atraso na linguagem. Serve de exemplo o caso de Einstein, que aos quatro anos ainda não falava!

O meio em que a criança se desenvolve tem grande importância, já que aprende a falar através do que ouve. Quem se ocupa dela, pode ajudar bastante no desenvolvimento da linguagem falando e lendo com ela. É típico que o primeiro filho comece a falar mais cedo do que os irmãos. Isto está relacionado com o tempo que os pais lhe dedicam.

As raparigas tendem a falar mais cedo do que os rapazes. Quando uma criança está atrasada na linguagem, costuma haver antecedentes familiares que explicam esse atraso. Existe a ideia de que algumas crianças tardam a falar porque são preguiçosas. No entanto, isto não é correto. Não convém fingir que não a está a perceber para a forçar a falar, porque esta atitude além de inútil é cruel e pode causar-lhe problemas.

Uma circunstância à qual se atribui falsamente o atraso na linguagem é a existência de freio na língua. Contudo, algumas situações familiares, como por exemplo a contínua desaprovação na conduta da criança, podem levá-la a falar menos ou, inclusive, a deixar de o fazer. O nascimento de um irmão ou outra circunstância que lhe provoque um certo grau de instabilidade, pode também, em alguns casos, ser a causa do atraso no desenvolvimento da linguagem.

As crianças que aprendem dois idiomas ao mesmo tempo, desde o primeiro ano de vida, podem ter um certo atraso na fala mas. em geral, a sua compreensão não está atrasada. Para a criança, a aprendizagem de uma língua é estimulada basicamente pela possibilidade de comunicar eficazmente com os adultos que a rodeiam.

Se a criança conseguir comunicar em duas línguas desde os primeiros anos de vida chegará a utilizar ambas de maneira indistinta. Isto só se consegue sem problemas quando os pais são realmente bilingues ou, pelo menos, capazes de utilizar dois idiomas de uma forma espontânea e equilibrada com ela. Em tais circunstâncias, não é mais difícil aprender duas línguas que uma só, já que, na realidade, a criança elege os sons que lhe parecem mais eficazes para comunicar. No início, misturará as palavras e depois classificá-las-á naturalmente.

Os pais bilingues não devem preocupar-se com a eventualidade de confundir a criança. Quando o não são autenticamente, ou quando não usam ambos os idiomas com a mesma facilidade, podem surgir problemas de recusa por parte da criança ao ver-se submetida mais a um esforço do que a estímulos de imitação e comunicação agradáveis. A criança é capaz de aprender qualquer língua ou línguas que lhe permitam comunicar com as pessoas que a rodeiam. A possibilidade de aprender sem esforço dois idiomas de uma só vez, incorporando-os naturalmente aos seus conhecimentos, deve ser estimulada quando as condições familiares o permitam, sem nunca esquecer que é muito mais importante o que a criança diz ou tenta dizer do que a maneira como o faz.

Perante uma criança com um atraso real na linguagem, é essencial descobrir se não existe um problema de audição. Os transtornos da fala são conhecidos pelo nome de disfasia ou dislalia e deverão ser controlados pelo pediatra que indicará a necessidade de reabilitação e as características específicas para cada caso.

Compartilhar:
follow subscribe - A linguagem. O bilinguismo