Cuidados e vigilância do recém-nascido - Doutor das Crianças - Guia Médico

22 Março 2016
Comentários:  1
Cuidados com o recém nascido - Cuidados e vigilância do recém-nascido



é normal o umbigo de bebe cheirar dois dias depois d nascimento.
EXPLICAR ÀS CRIANÇAS O NASCIMENTO,é normal o umbigo de bebe cheirar dois dias depois d nascimento,rastreio doenças metabólicas dias.




Durante a permanência no hospital, em que as enfermeiras cuidam do bebé, aproveite para se iniciar nas tarefas rotineiras que ele lhe vai exigir cm casa. Estes primeiros dias permitem à mãe recuperar do parto, já que o regresso a casa implicará a necessidade de trabalhar, mais ou menos conforme a ajuda com que possa contar, mas para a maioria das mães será, sem dúvida, cansativo.

Apesar da sua aparente fragilidade, o recém-nascido possui, na realidade, um corpo muito resistente. Não tenha medo de lhe pegar e mexer com firmeza. Mesmo não tendo experiência, o bom senso e o instinto ajudá-la-ão e será  perfeitamente capaz de tratar dele. De qualquer modo, não hesite em pedir ajuda ao pediatra ou à enfermeira sempre que surja uma dúvida, por mínima que lhe pareça, se não tiver junto dc si pessoas com experiência que a possam aconselhar. E normal que as pálpebras do recém-nascido estejam frequentemente edematosas ou inchadas. Quando chora energicamente podem inchar mais, mas voltarão ao normal em pouco tempo.

Durante os primeiros meses, a parte branca dos olhos (ou esclerótica) também pode apresentar uma cor azulada mas adquirirá a cor branca à medida que for crescendo. O estrabismo è também uma ocorrência normal durante as primeiras semanas de vida, mas se persistir depois dos seis meses deve ser observado pelo médico.

Um problema frequente durante as primeiras semanas é a dificuldade em eliminar as lágrimas. Isto deve-se a uma formação incompleta dos canais lacrimais no momento do nascimento, que produz um lacrimejar constante e, às vezes, secreções pegajosas. Na maioria dos casos resolve-se espontaneamente antes dos seis meses e requer somente pequenos cuidados, como massajar o canto interno do olho, lavando a vista com uma infusão de camomila ou aplicando uma pomada de antibiótico quando o médico considere necessário, por forma a prevenir a infeção.

A pele do bebé é particularmente sensível e requer uma higiene esmerada, embora simples. O bebé pode e deve, desde o primeiro dia, tomar banho com água e sabão neutro sendo esfregado suavemente com uma esponja, só para ele. Limpe-o bem, evitando deixar qualquer humidade que possa favorecer o aparecimento de irritações cutâneas. É recomendável a aplicação de um creme hidratante e emulsionante para prevenir o aparecimento de dermatites.

A mucosa da boca do recém-nascido pode ser contaminada por fungos (geralmente Cândidas) ao atravessar a vagina da mãe durante o parto, ou pelo contacto com pessoas ou material contaminado por outros bebés durante a permanência na maternidade. Quando isto sucede, aparecem uns pontos ou placas brancas na mucosa bucal denominados muguet ou candidiase oral. Trata-se de uma inflamação benigna que se cura com aplicações locais de nistatina. Quando atravessa o aparelho digestivo e aparece em forma de manchas vermelhas na zona circundante do ânus, convém consultar o pediatra que indicará uma terapêutica específica para tomar oralmente e para aplicar nas zonas da pele e nas mucosas afetadas.

O umbigo é uma região delicada que deve ser limpa várias vezes ao dia, pois suja-se com facilidade quando o bebé molha a fralda. Não receie lavar esta zona com água e sabão, tendo o cuidado de a secar sem esfregar. É recomendável colocar sempre uma gaze limpa, humedecida com álcool diluído, em redor do cordão, protegendo a pele adjacente onde a pinça toca e que pode segurar-se simplesmente com a fralda. Se a zona que rodeia o umbigo estiver vermelha, dura e cheirar mal ou produzir secreção, é necessário consultar o pediatra, porque esses sintomas podem indicar o início de uma infeção.

Habitualmente, a extremidade remanescente do cordão umbilical vai secando pouco a pouco e cai entre o quinto e nono dia. Não tente nunca arrancá-la, pois deve cair espontaneamente. Se esta extremidade persistir para além da segunda semana, convém consultar o médico.

A cabeça do recém-nascido tem um aspeto especialmente frágil, mas tal não deve preocupá-la. Embora seja necessário tratá-la com cuidado, e resistente e deve ser lavada com água e sabão no banho diário. As zonas moles da cabeça (pode verificar-se pelo tato que não existe osso debaixo do couro cabeludo) denominam-se fontanelas; têm uma capa interna protetora, servem para permitir o crescimento normal dos ossos do crânio c devem permanecer abertas durante o primeiro ano para o adequado desenvolvimento do cérebro. O cabelo varia muito de bebé para bebé; alguns nascem com muito, que irão perdendo pouco a pouco nas primeiras semanas, enquanto outros nascem com cabelo ralo. Todas as variantes são normais. Não se alarme também se durante as primeiras semanas se produzir uma calvície no alto da cabeça porque é temporária.

Frequentemente, aparece na cabeça uma zona com escamas de caspa, que pode chegar a formar uma crosta, denominada crosta láctea; não se preocupe, pois não tem importância. Deve continuar a lavar essa área com água e sabão, mas se a crosta for grande pode ser necessário aplicar durante uns dias uma pomada de vaselina ou de ácido salicílico ou, simplesmente, óleo de bebé, deixando atuar uns minutos e lavando de seguida energicamente. Se a crosta estiver sobre a fontanela, massaje suavemente.

A cor da pele é um sinal importante no recém-nascido. Durante as primeiras horas de vida o seu corpo está coberto por uma capa de gordura que lhe serve de proteção. Por baixo, a pele costuma ter inicialmente uma cor avermelhada que se transforma em rosada ao longo dos primeiros dias de vida. E frequente apresentar desde o nascimento umas manchas azuladas, localizadas na região do sacro, nas nádegas ou nas coxas chamadas manchas mongólicas ou manchas azuis que desaparecem espontaneamente aos dois ou três anos e não têm nenhuma importância.

As manchas rosadas que aparecem nas pálpebras, na testa ou na nuca são frequentes. Trata-se, geralmente, de pequenos angiomas ou acumulações planas de sangue, mais evidentes durante os primeiros meses e que na maioria dos casos desaparecem espontaneamente nos primeiros anos.

A pele e a esclerótica dos olhos adquirem, amiúde, a partir do segundo ou terceiro dia, um tom amarelado. Na maior parte dos casos, trata-se da chamada icterícia fisiológica do recém-nascido, um processo sem gravidade que se resolve de forma natural e progressiva em vários dias. No entanto, quando a icterícia aparece logo no primeiro dia ou se mantém mais de duas semanas, pode dever-se a alguma alteração do fígado, das vias biliares ou de outros órgãos, pelo que deverá sempre ser observada e vigiada pelo pediatra.

A descamação da pele das mãos e dos pés também é normal e não constitui motivo de alarme. Às vezes aparecem na pele da cara junto ao nariz pontinhos esbranquiçados como a cabeça de um alfinete. Esta erupção é causada pela retenção de secreções das glândulas sebáceas e chama-se milia; não tem importância, acabando por desaparecer. No entanto, quando estes pontinhos estão rodeados de uma auréola avermelhada pode tratar-se de uma pequena infeção cutânea, conhecida por piodermite, que deve ser observada pelo médico e tratada com um anti-séptico local. Noutras ocasiões aparecem na cara umas borbulhas vermelhas pontiagudas que podem corresponder ao chamado eritema tóxico do recém-nascido que, habitualmente, não requer tratamento.

No período neonatal, a pele é especialmente sensível, pelo que é frequente o aparecimento de dermatite da fralda, ou irritação na pele que está em contacto com a fralda. De início, surge uma cor avermelhada que, se não for tratada com cuidado, pode complicar-se e evoluir até ao envelhecimento da pele, com descamação e gretas, o que se tornará incómodo e doloroso. Para evitar este problema, há que mudar o bebé com muita frequência, porque durante os primeiros meses ele urina e defeca muitas vezes.

Em cada muda, é imprescindível lavar a pele do bebé com água e sabão, eliminando todos os resíduos de urina e fezes que possa haver entre as pregas das virilhas e das nádegas. A seguir, é importante secar bem a zona para evitar a humidade. Não é necessário aplicar pó de talco mas, se o fizer, utilize um produto adequado para bebés. Se o bebé tiver o rabo assado, uma medida eficaz consiste em mantê-lo ao ar, deixando-o deitado por momentos sobre uma fralda limpa sem a fechar. Isto deve ser feito em épocas quentes ou se a casa estiver climatizada. Os cremes à base de zinco e os óleos são úteis se a dermatite não for muito intensa. Se não desaparecer com as medidas de higiene indicadas, então mais uma vez terá que consultar o pediatra.

Durante as primeiras vinte e quatro horas, o bebé deve fazer a sua primeira dejeção que será aderente e de cor verde-escura conhecida com o nome de mecónio. Se não a fizer espontaneamente, avise a enfermeira ou o médico. Entre o segundo e o quarto dia, as dejeções serão de cor castanha-esverdeada e a partir do quarto ou quinto dia estas têm já as características das do lactente, variando em consistência, cor e frequência, conforme o tipo de alimentação. Durante o primeiro dia produzem-se igualmente as primeiras micções, que devem ser controladas. Como todo o seu organismo, também os rins do recém-nascido estão imaturos e durante a primeira semana podem perder proteínas e produzir uma urina colorida que tinge a fralda de rosa. Isto não a deve alarmar: trata-se de uma situação normal que se corrige sem tratamento entre a segunda e a terceira semana após o nascimento.

A temperatura do recém-nascido estabiliza-se nas primeiras quatro a seis horas numa escala semelhante à de um adulto, ou seja, de 35° a 37° C. O bebé é capaz de regular a sua temperatura, tornando-se, portanto, desnecessário e incómodo pôr-lhe grandes quantidades de roupa, com medo de que apanhe frio. O bebé necessita quase do mesmo agasalho que um adulto e se está no berço tapado com lençol, cobertor e colcha, não precisa de estar vestido com roupas de lã. Infelizmente, existe o costume de imaginar que os bebés têm frio, agasalhando-os em excesso e fazendo-os sentir-se incómodos.

O peso médio de um recém-nascido atinge os 3,4 kg e, cm geral, os rapazes pesam um pouco mais do que as raparigas. O comprimento médio ronda os 50 cm e 35 cm o perímetro da cabeça. É importante conhecer estes dados e anotá-los no período neonatal, já que podem vir a ser úteis em etapas posteriores da vida, como referência para avaliar as curvas de crescimento.

O recém-nascido possui ainda uma grande quantidade de água e nos primeiros dias necessita de perder líquidos rapidamente; isto manifesta-se numa perda de peso, normal que ocorre durante a primeira semana de vida. Não deve alarmar-se desde que essa perda não ultrapasse dez por cento do peso do nascimento: por exemplo, se pesava 3.2 kg, é normal que aos cinco ou seis dias possa perder ate 300grs. A maioria recupera o seu peso de nascimento após oito ou dez dias, aumentando depois progressivamente.

Uma medida fundamental quando se cuida de um bebé consiste em habituar-se a lavar as mãos antes de lhe mexer. Festa e a melhor forma de prevenir infeções a todos os níveis.

Compartilhar:
follow subscribe - Cuidados e vigilância do recém-nascido