Do quarto ao sexto mês, a introdução de novos alimentos - Doutor das Crianças - Guia Médico

23 Maio 2016
Categoria:
Alimentação
Comentários:  0
Do quarto ao sexto mês a introdução de novos alimentos - Do quarto ao sexto mês, a introdução de novos alimentos




EXPLICAR ÀS CRIANÇAS O NASCIMENTO,é normal o umbigo de bebe cheirar dois dias depois d nascimento,rastreio doenças metabólicas dias.




A partir do quarto mês é recomendável iniciar tenta e gradualmente a introdução de novos alimentos. Esta fase é conhecida pelo nome de diversificação e deve ser orientada e controlada pelo pediatra.

Não existem razões científicas que aconselhem a introdução de um alimento antes de outro e é recomendável manter os costumes de cada país ou região. Os alimentos devem ser introduzidos separadamente para se poder detetar o eventual responsável por reações de intolerância ou alergia que possam surgir. Normalmente começa por acrescentar-se farinha sem glúten ao leite, da manhã e depois ao da noite.

Passados uns dias, quando a criança já está habituada ao sabor e consistência da papa, introduz-se a fruta e depois os legumes, começando sempre por pequenas quantidades que tanto podem ser misturadas no leite do biberão como ser dadas antes ou depois da refeição. Entre o quarto e o sexto mês, o bebé começa a comer novos alimentos de forma gradual; entre o sexto e o oitavo mês a alimentação já é variada.

Um esquema orientativo pode consistir no seguinte: duas refeições de leite especial para bebés com farinha sem glúten, uma papa de frutas acompanhada de um biberão de leite, uma refeição de puré de legumes com 20 a 30 grs de frango ou carne cozida c triturada e uma quinta refeição, opcional, de peito ou biberão, sempre que o bebé acordar à noite. O glúten, existente essencialmente na farinha de trigo, pode ser introduzido por volta do sexto ou sétimo mês.

A quantidade de alimento em cada refeição varia consideravelmente de bebé para bebé e pode oscilar entre 170 e 240 cc por refeição. O importante não é a quantidade exata que o bebé ingere, mas sim que se sinta satisfeito e tenha um correto desenvolvimento em termos de peso e comprimento. Por vezes, é necessário diluir os alimentos no leite para que o bebé se habitue e tolere melhor os novos sabores. A partir dos seis meses deixa de ser imprescindível esterilizar os biberões, sendo suficiente que estejam limpos e que a sua preparação se faça em boas condições de higiene.

O mais importante è lavar bem as mãos antes de começar a preparar os alimentos. Nesta idade, o bebé começa a mexer-se, pega em objetos e leva-os à boca continuamente, sendo inútil tentar impedi-lo já que é uma das suas maiores satisfações. Certifique-se de que todos os alimentos estão em perfeitas condições e sempre que os conservar de uma refeição para outra deve guardá-los no frigorífico.

Não existe inconveniente em congelar a comida destinada ao bebé, sempre que a congelação se faça imediatamente após a sua preparação. É útil utilizar recipientes pequenos para poder descongelar somente a quantidade suficiente para cada refeição, já que os alimentos não podem ser congelados de novo.

Os alimentos do bebé podem ser aquecidos no micro-ondas. Os biberões devem ser colocados dentro do forno, sempre em posição vertical e abertos, com quantidades superiores a 120 cc, sempre sem a tetina, para evitar que o bebé se queime ao chuchar. É importante não esquecer nunca de verificar a temperatura do líquido antes de lhe dar o biberão.

Compartilhar:
follow subscribe - Do quarto ao sexto mês, a introdução de novos alimentos