Novos riscos. Acidentes. Intoxicações. Traumatismos - Doutor das Crianças - Guia Médico

27 Setembro 2017
Comentários:  0
Novos riscos. Acidentes. Intoxicações. Traumatismos1 - Novos riscos. Acidentes. Intoxicações. Traumatismos




belowwhp,truckfgn,aside2eh.




Em Portugal, contacte o Centro de Informação Antivenenos (CIAV) Tel. 01-795 01 43. Se a criança ingerir uma substância potencialmente tóxica peça informação urgente por este telefone, que funciona em Lisboa 24h por dia. À medida que adquire desenvoltura em andar e em correr sozinha, a criança trona-se mais vulnerável a sofrer acidentes, se não estiver sob uma vigilância constante. Cada dia que passa desenvolve novas capacidades motoras e é capaz de chegar aos sítios mais insuspeitados de uma casa e, inclusivamente, uma vigilância permanente pode não ser suficiente.

A casa deve estar adaptada à criança, tendo em conta que basta um segundo para que ela pegue num produto tóxico que esteja ao seu alcance e que lhe pode provocar grandes danos. Todos os produtos de limpeza líquidos ou em pó, da lixívia ao sabão, são muito tóxicos quando ingeridos e devem estar guardados em locais aos quais ela não consiga chegar. Também os medicamentos devem estar fora do seu alcance, já que bastam uns segundos para que meta um comprimido à boca. Uma medida prática será guardar os produtos potencialmente tóxicos em armários altos, fora do seu alcance e fechados com um sistema que lhe seja inacessível.

É necessário verificar as janelas, as escadas e as aberturas que possam existir na casa e pelas quais a criança, por um descuido mínimo da pessoa que a vigia, se possa introduzir e, eventualmente, sofrer um acidente mortal. Nas janelas e escadas devem instalar-se
dispositivos que a criança não consiga abrir e que possam ser retirados quando ela crescer. Outro sítio que pode ser particularmente perigoso é a cozinha.

Sempre que for possível, deve manter-se a criança afastada de lá, por forma a evitar acidentes, principalmente queimaduras. Quando brinca em espaços abertos é muito perigoso perdê-la de vista em algum momento, pelo que é necessário averiguar se não existem zonas potencialmente perigosas dentro da sua área de ação. Também é necessário prestar especial atenção às tomadas que estão ao seu alcance, já que é impossível, por muito que se tente explicar, que ela compreenda o perigo que elas representam.

Nesta fase, é absolutamente imprescindível evitar que a criança entre em contacto com situações ou substâncias perigosas, já que ainda é muito pequena para compreender as explicações que lhe possam dar.

Compartilhar:
follow subscribe - Novos riscos. Acidentes. Intoxicações. Traumatismos