O choro - Doutor das Crianças - Guia Médico

14 Novembro 2015
Comentários:  0
34. Choro do recém nascido - O choro




EXPLICAR ÀS CRIANÇAS O NASCIMENTO,é normal o umbigo de bebe cheirar dois dias depois d nascimento,rastreio doenças metabólicas dias.




O choro do bebé alarma os pais, principalmente quando se trata do primeiro filho, e pode significar muitas coisas, já que é uma das mais eloquentes formas de expressão de que o lactente dispõe. Deve, portanto, ser interpretado corretamente, embora por vezes possa ser desesperante.

Chora quando tem fome, está sujo e incómodo, engole ar e tem dores abdominais; quando tem sono e está cansado mas não consegue adormecer; se alguma coisa no berço o está a incomodar ou, simplesmente, porque quer chamar a atenção e quer mimos ou colo.

O choro também pode indicar que está a incubar alguma doença e sente mal-estar.

Durante as primeiras semanas, as causas mais frequentes do choro costumam ser a fome e as cólicas do lactente. Quando a causa é a fome, o choro costuma parar quando se lhe dá a chucha ou o dedo para chuchar, mas volta a chorar mais energicamente ao aperceber-se de que não sai alimento. Se o bebé se acalma quando lhe pega ao colo sem lhe dar alimento nem nada para chuchar, é porque os motivos são outros.

Se for alimentado sem rigidez de horários e suspeitar de que chora porque tem fome, dê-lhe o biberão ou peito, sem ter em conta o tempo decorrido desde a última toma.

Se por algum motivo especial seguir um regime horário rígido, convém avaliar as vantagens de o cumprir, deixando a criança chorar e tentando acalmá-la dando-lhe água ou pegando-lhe ao colo, mas se continua a chorar com fome, não deve prolongar o choro para tentar cumpri-lo. A criança habitua-se espontaneamente aos horários regulares e a tentativa de introduzir uma disciplina na sua vida durante as primeiras semanas de vida não apresenta nenhum efeito positivo para o futuro.

Seja muito cautelosa ao interpretar a razão do choro. Se um bebé alimentado ao peito chora, pode ser porque a mãe não tem leite suficiente, mas é preciso cuidado porque, se lhe são dados biberões antes de tempo, o leite materno pode secar. Engolir ar é outra das causas frequentes de choro, já que a acumulação de ar distende as paredes do estômago e do intestino produzindo dores abdominais e uma sensação de incomodidade, exatamente como sucede com os adultos. O ar pode ser engolido em excesso quando ele mama com ansiedade ou quando os lábios não se adaptam adequadamente ao mamilo ou à tetina.

Se a saída do leite pela tetina for abundante, o bebé engolirá ar e pode engasgar-se.

Para evitar estas situações, existem tetinas apropriadas das que dificultam a passagem do ar durante a sucção. Tomar o biberão numa posição demasiado horizontal favorece a ingestão de ar, enquanto se o colocar um pouco mais na vertical o bebé engolirá menos ar e ser-lhe-á mais fácil expulsá-lo. A partir da primeira ou segunda semana, alguns bebés choram frequentemente à tarde, quase sempre à mesma hora, sem causa aparente, sem qualquer relação com a hora da mamada, de forma continuada e desesperante.

Este choro pode ser causado pelas cólicas do lactente. Não se conhece exatamente a sua origem, embora se suspeite que possam intervir diversos fatores no seu aparecimento.

Uma imaturidade do aparelho digestivo, particularmente na função motora, assim como um maior ou menor grau de alergia ou intolerância às proteínas do leite são algumas das causas que se consideram como possíveis desencadeastes da cólica do lactente.

A imaturidade nervosa e o cansaço foram também sugeridos como igualmente responsáveis. Mas, seja qual for a causa, a criança que sofre de cólicas de lactente tem episódios de choro, uma ou várias vezes ao dia, que podem chegar a ser desesperantes para os pais. E fundamental que o pediatra observe a criança e confirme o diagnóstico.

A família deve ter sempre presente que o choro não tem nenhuma repercussão negativa sobre o desenvolvimento do bebé e que o problema desaparecerá quando ele tiver três ou quatro meses.

Tendo isto bem presente, será menos difícil aceitar a situação e esperar tranquilamente que o problema se resolva. Por vezes, o choro indica que o bebé está a incubar alguma doença que o faz sentir-se incómodo e irritável. Nesta circunstância é frequente o choro ser acompanhado por outros sinais, tais como a recusa de alimentos, um aspeto diferente da criança, que não é fácil definir mas que a mãe consegue notar, uma mudança na cor da pele ou nas características das fezes. Quando apresenta estas características, é necessário consultar o pediatra.

Outra possibilidade é que o bebé chore porque está molhado sujo, tenha frio ou calor, ou simplesmente esteja incómodo no berço se o observar com atenção e sem angústia, poderá ajudá-lo a resolvei o problema.

Alguns bebés choram quando têm demasiada gente a sua volta, ambiente de excitação e quando estão cansados e não conseguem adormecer. Para outros, no entanto, a solidão pode ser a causa do choro, expressando a necessidade de serem abraçados e carinhados.

À medida que o bebé cresce, chorará menos, apesar de aumentar o número de estímulos capazes de o fazerem chorar. Simultaneamente as pessoas que tratam dele aprenderão a compreender melhor o seu choro, já que cada criança, tal como cada adulto, tem características, que é necessário ir descobrindo a pouco e pouco.

Consolar e tranquilizar o bebé quando chora ou se mexe inquieto não significa fomentar a sua debilidade, mas sim ajudá-lo num momento difícil. Não é aconselhável ser-se inflexível e duro com um bebé nos primeiros meses.

Compartilhar:
follow subscribe - O choro