14 Janeiro 2016
Comentários:  0
Problemas habituais em casa




Atraso Na Dentição Do Bebê,enfartamento gases e sono,sensaçao de enfartamento e arroto,agasalhar demasiado.




Os problemas de comportamento são consequência do choque entre a personalidade em desenvolvimento da criança e as atitudes dos pais, irmãos e outras pessoas que a rodeiam.

As fricções são normais e inevitáveis. No entanto, quando são excessivas, alteram os pais, provocando insegurança na criança. O conflito é quase sempre provocado por hábitos infantis que os mais crescidos consideram inadequados e desagradáveis.

Frequentemente, muitas das atitudes habituais das crianças desagradam aos adultos e requerem uma dose equilibrada de disciplina e carinho para tentar controlar e transformar esses traços desagradáveis e incómodos do seu comportamento. A criança pode não ter consciência de que a sua mãe está cansada ou preocupada.

Ela vive num mundo próprio, alheia aos problemas dos adultos que a rodeiam. Com frequência, os pais esquecem que o seu filho, tal como qualquer adulto, pode estar irritado porque tem fome ou sono ou porque tem algum problema na escola. Quando regressa da escola de mau humor, o mais sensato é que faça os seus deveres, jante e vá dormir. Se a criança está cansada e com fome, este não é o momento indicado para lhe falar das suas obrigações.

Os pais também têm os seus problemas e quando estão cansados ou preocupados tornam-se especialmente irritáveis e perdem o sentido de humor. E inevitável que este estado de ânimo se reflita no filho. À medida que a criança cresce é capaz de discernir e raciocinar melhor por si própria, não aceitando tudo o que os pais lhe dizem e insiste em discutir e em saber o porquê das coisas.

Esta atitude torna-se incómoda para os adultos porque não consideram necessárias de tantas explicações e facilmente se entra num círculo negativo, no qual a criança se torna cada dia menos tolerante perante as ordens ou as contínuas sugestões dos adultos. Quando era mais pequena aceitava sem reclamar muitas coisas; agora resiste, podendo gerar-se uma situação de conflito permanente. E importante que os adultos reconheçam que nem sempre a criança ê responsável pelos conflitos e aceitem a sua quota parte de culpa na origem dos mesmos.

Este reconhecimento nem sempre é fácil mas se for tomado em consideração é possível que se consigam evitar muitas situações desagradáveis e pouco construtivas.