Visão. Relacionamento com as pessoas - Doutor das Crianças - Guia Médico

5 Setembro 2016
Categoria:
O Primeiro ano
Comentários:  0
Visão - Visão. Relacionamento com as pessoas




legenda para fotos de crianca sorrindo,Sonhar com varias cobra morta e seca,pediatra dr raul coelho consulta,dr raul coelho pediatra faro horário de consulta,dr raul coe,vida roubada livro pdf,as composiçoes do paracetamol,leite materno qual idade guia do médico.




Já referi que ao completar o primeiro mês, o bebé é capaz de olhar com atenção para uma pessoa e seguir a deslocação de um objeto. Em resposta ao que vê, no segundo mês, começa a mover os braços e as mãos tentando alcançá-lo. Por volta do terceiro mês, a coordenação melhora rapidamente, inicia-se a preensão ativa e segura, durante algum tempo, um objeto que se lhe dê.

O sorriso e a troca de olhares são as armas mais valiosas que possui para obter uma relação social satisfatória com a mãe ou com a pessoa que trata dele e, por volta do segundo mês, sente-se mais à vontade e feliz com pessoas conhecidas do que com estranhos e sorri, mostrando de forma inequívoca as suas preferências. A partir do quarto mês, começa a dar gargalhadas quando deseja mostrar prazer, sendo igualmente capaz de manifestar o seu desgosto através do choro ou com mudanças de expressão que denotam, de forma clara, irritabilidade ou inquietação.

Aos seis meses, mostra nitidamente a sua preferência pelas pessoas que tratam habitualmente dele e fica ansioso quando se aproxima algum estranho, sobretudo quando está ao colo da mãe, apesar de aceitar pessoas desconhecidas quando está sozinho.

No sétimo mês, começa a responder às mudanças de expressão faciais das pessoas com quem se relaciona. Nesta fase, a angústia e o temor da separação das pessoas conhecidas estão relacionados com o grau de intensidade que tenha atingido na comunicação e troca de emoções com elas.

Sempre que for possível, mantenha um contacto verbal com o bebé quando se afasta dele e repare como ele fica mais tranquilo quando está deitado e você lhe fala apesar de estar fora do seu alcance visual. Por volta dos seis meses, exprime uma clara satisfação quando se vê ao espelho e reage inequivocamente perante as mudanças emocionais das pessoas que estão perto dele e por volta do nono e meses, a coordenação motora permite-lhe soltar um objeto no momento em que outra pessoa lhe pega, sendo capaz de descobrir um brinquedo escondido e de tentar pegar numa coisa que tenha deixado cair.

Ao mesmo tempo, torna-se cada vez mais independente e começa a gatinhar, tentando seguir continuamente a mãe. Nesta idade, diz adeus com a mão e, se lhe ensinarem, pode brincar ao “cu-cu” e a outros jogos simples. Entre os seis e os doze meses começa a imitação, fase especialmente atrativa para o estimular e poder assistir aos seus progressos diários.

Mais ou menos aos nove meses verifica-se esta situação: o bebé desenvolve o conhecimento de que “as coisas existem ainda que não se vejam” e é capaz de pegar em algo que está fora da sua vista mas ao seu alcance e que previamente havia despertado o seu interesse como, por exemplo, tentar chegar a um brinquedo que está debaixo de um cobertor. Ele sabe que embora esteja fora da sua vista, não está fora do seu alcance.

Compartilhar:
follow subscribe - Visão. Relacionamento com as pessoas